Agricultura

Perspectivas 2020: tomate, mamão e uva

15/01/2020
Perspectivas 2020: tomate, mamão e uva

Foto: Seu Didi/Sumaré (SP)

Perspectivas 2020: tomate, mamão e uva

Tomate: Para 2020, as expectativas iniciais são de área praticamente estável na tomaticultura, com ligeira tendência de recuo, que pode ocorrer na segunda parte da temporada de inverno (-1,9%) e nas regiões acompanhadas pelo Hortifruti/Cepea com o ano todo (-0,4%). Esse cenário se deve aos baixos preços no período de colheita da segunda parte de inverno em 2019.

A temporada de verão 2019/20 deve ser estável, e a primeira parte da de inverno pode aumentar apenas 0,3%. Apesar da rentabilidade positiva na primeira parte das temporadas de inverno e verão 2018/19, produtores ainda se encontram descapitalizados, o que limita o aumento dos investimentos. Para a indústria, a expectativa é de área estável, com tendência de aumento.

Mamão: Agentes esperam que a rentabilidade positiva e constante do mamão formosa possa levar a uma recuperação de 3% na área média das regiões produtoras acompanhadas pelo Hortifruti/Cepea em 2020. Isso porque esse cenário tem animado produtores tradicionais e também "aventureiros" a investir na variedade, em especial no Espírito Santo, Rio Grande do Norte e na Bahia – que também são fortes exportadores da fruta.

Além disso, mamocultores devem continuar investindo em tecnologia de produção, conjuntura que pode favorecer a produtividade em 2020. Com a perspectiva de maior oferta e manutenção dos elevados custos de produção para este ano, os preços podem recuar e limitar a rentabilidade do produtor.

Uva: Os problemas climáticos da safra 2019/20 em muitas praças do Sudeste e do Paraná devem atrasar o calendário para o início de 2020. Assim, os preços podem ser satisfatórios no Paraná, Campinas (SP) e Porto Feliz (SP), regiões que vão ficar próximas do cronograma planejado, e piores naquelas onde a oferta pode ser mais restrita aos primeiros meses do ano.

O Vale do São Francisco pode ter mais fruta no primeiro semestre de 2020, como forma de repetir o cenário de maiores exportações de 2019. A BRS vitória deve continuar ganhando espaço, em especial em Pirapora (MG) e Jales (SP). Além disso, principalmente em São Paulo, espera-se que em 2020 as regiões apresentem um maior leque de variedades, a fim de conseguir melhor rentabilidade.

Fonte: hfbrasil

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando