Rúmen: um quadrilhão de razões pelas quais os microrganismos importam

Você sabia que o rúmen de uma vaca é o lar de mais de um quadrilhão (sim, 1.000.000.000.000.000) de microrganismos essenciais? Esses seres vivos minúsculos afetam diretamente a saúde do rebanho. O que você fornece de alimento a uma vaca pode ajudar a manter uma população saudável de microrganismos no rúmen e otimizar a digestão de nutrientes.

Você alimenta seu gado e um ecossistema de bactérias, protozoários e fungos. Os microrganismos do rúmen trabalham juntos para decompor o que uma vaca come, transformando o alimento em energia e proteína. Manter os microrganismos “felizes” pode manter as vacas produtivas e no rebanho.
Aqui estão três coisas que você deve saber sobre os microrganismos do rúmen:

1. Tipos de microrganismos

Compreender os microrganismos do rúmen e seus papéis pode ajudar ao revisar suas práticas de manejo e nutrição. Três principais microrganismos são responsáveis pela decomposição de alimentos e forragens em nutrientes que o gado pode usar.

Protozoários: Os protozoários são o maior dos três tipos de microrganismos do rúmen, quase visíveis a olho nu a 100 mícrons de comprimento. Quase 10 milhões de protozoários povoam apenas 1 mililitro de líquido ruminal. Os protozoários digerem bactérias, grânulos de amido e fibras.

Bactérias: São 100 vezes menores que os protozoários. No mesmo mililitro de líquido, quase 100 bilhões de bactérias trabalham duro para digerir açúcares, amido, fibras e proteínas.

Fungos: Produzem poderosas enzimas celulolíticas essenciais para quebrar as fibras do capim e do feno, tornando a forragem mais facilmente digerível. Comparativamente, esta é uma população menor (apenas 10.000 fungos em 1 mililitro de líquido ruminal). No entanto, os fungos são influentes na entrega de nutrientes ao gado.

Juntos, os microrganismos do rúmen produzem ácidos graxos voláteis - acéticos, butíricos e propiônicos - que as vacas usam como fonte de energia. Essa é usada para manutenção, crescimento, lactação e reprodução, tornando esses microrganismos minúsculos um grande negócio.

2. Equilíbrio do pH ruminal

O pH do rúmen nunca é constante, mas é vital para manter uma população de microrganismos no rúmen saudável. Os microrganismos não gostam de mudanças e podem ser facilmente eliminados com flutuações repentinas de pH.

Naturalmente, o pH diminui após cada refeição e aumenta novamente quando o animal mastiga. Idealmente, deve permanecer em 5,9 ou acima. No entanto, alimentos de baixa qualidade, mudanças abruptas na dieta ou estresse podem causar alterações no pH do rúmen e levar a problemas de saúde.

- Pode ocorrer inchaço quando os microrganismos do rúmen ficam desordenados. O gás é criado naturalmente quando os microrganismos do rúmen decompõem os alimentos. No entanto, um ambiente ruminal desequilibrado pode resultar em excesso de gás e inchar quando uma vaca é incapaz de se livrar do excedente.
- Entre a população de bactérias do rúmen reside os produtores e usuários de ácido lático. A acidose subaguda no rúmen (SARA) ocorre quando a população de bactérias desequilibra e produz mais ácido lático do que o utilizado.
- Se o pH do rúmen cai abaixo de 5,4 e permanece lá, a população de microrganismos se torna coletivamente produtora de ácido lático. Um acúmulo de ácido lático pode paralisar os músculos, incluindo o diafragma, e levar à morte.

3. Mantenha os microrganismos ativos

Quando o ambiente ruminal é equilibrado, os microrganismos florescem e permanecem ativos. Microrganismos ativos decompõem com sucesso a alimentação e a forragem, permitindo que a vaca absorva nutrientes. Ao contrário, microrganismos menos ativos ou inativos falham em fornecer os nutrientes necessários.

Como você mantém os micróbios ativos? Nutrição consistente. Uma nutrição consistente e confiável pode ajudar a manter um pH estável no rúmen e permitir que os microrganismos prosperem.

O gado e seus microrganismos dependem um do outro - nenhum sobreviveria sem o outro. A ciência da nutrição trabalha para desenvolver uma dieta equilibrada - uma dieta que fornece os nutrientes necessários para a saúde ótima do rúmen. Lembre-se de que uma nutrição consistente pode ajudar a manter um pH ruminal estável e microrganismos felizes. Esses podem digerir e usar com eficiência nutrientes, e o resultado disso são vacas produtivas.

Tornando a vaca ainda mais eficiente

As vacas costumam ser chamadas de recicladoras porque convertem o capim, algo com mínimo valor nutricional para os seres humanos, em um alimento incrivelmente denso em nutrientes que as pessoas gostam de comer - carne bovina. Mas e se pudéssemos tornar nossas vacas ainda mais eficientes?

Ao longo de anos de pesquisa, aprendemos que podemos manipular o rúmen para duplicar ou triplicar as populações de microrganismos em uma vaca com um programa de nutrição equilibrado.

Construir populações prósperas de microrganismos no rúmen é um ato de equilíbrio. Você precisa equilibrar a nutrição com base nas metas disponíveis de forragem, clima, ambiente e operação.

Suplemente os animais

Mesmo em períodos de chuva, quando o crescimento das pastagens é grande, as forrageiras podem não suprir todas as necessidades nutricionais do animal, como por exemplo, a necessidade de proteína. Assim, preencher essa lacuna de proteína ajudará a equilibrar a dieta e manter os microrganismos prosperando.

Fornecer suplementação para as vacas é uma ótima forma de começar. A suplementação também incentiva refeições mais frequentes, o que ajuda a estabilizar o pH do rúmen e estimula a proliferação de microrganismos.

O resultado? As vacas podem converter de maneira mais eficiente as forragens em energia e usar melhor os alimentos de baixa qualidade, como pasto armazenado no inverno.

Dê tempo às mudanças na dieta

Mudanças rápidas na dieta e inconsistências podem causar estragos na função ruminal. Isso pode causar uma queda significativa no pH e matar rapidamente mais da metade da população de microrganismos do rúmen. A figura abaixo demonstra microrganismos antes e depois de uma alteração no pH ruminal.

"Quanto tempo a população de microrganismos do rúmen leva para se ajustar e voltar ao normal após uma mudança na dieta?"

É fácil supor que o rúmen de uma vaca tenha se recuperado totalmente após 10 a 14 dias, com base em uma avaliação visual. Na verdade, leva de três a quatro semanas, dependendo do tamanho da alteração e da quantidade de dano causado.

Impedir uma mudança na dieta é o melhor cenário, mas nem sempre é possível. Talvez você precise trocar um ingrediente de ração ou esteja trocando tipos de feno.

Felizmente, os microrganismos do rúmen podem se adaptar a quase tudo, leva apenas um tempo para se adaptarem. A mudança de dieta deve ser introduzida lenta e intencionalmente por alguns dias ou até semanas, dependendo da importância.

Detecte a má função ruminal

Mesmo se você estiver fazendo tudo certo, ainda é importante manter os olhos atentos a sinais de baixo desempenho ruminal.

O gado em confinamento apresenta sinais visíveis de má função ruminal - uma queda na ingestão de alimentos, uma mudança nos escores de esterco, ganhos mais baixo, entre outros. As vacas com função ruminal ruim são mais difíceis de detectar. No entanto, sempre que o rúmen de uma vaca não está funcionando com a máxima eficiência, seu desempenho é comprometido.

Por exemplo, se uma vaca está pastando com energia e proteína adequadas, mas com minerais inadequados, seus microrganismos ruminais ficam desequilibrados. Sua produção de leite pode cair em até 48 horas, quando as reservas minerais estiverem esgotadas. A reação em cadeia continua quando o bezerro não está consumindo tanto leite e, finalmente, não atinge todo o seu potencial de peso ao desmame.

Garanta que as vacas não tenham um dia ruim prestando atenção aos detalhes. Fique de olho na quantidade de ração que você tem, quanto tempo durará seu suprimento e a qualidade da ração para manter as dietas o mais consistente possível. Planeje fazer mudanças na dieta lenta e intencionalmente.

Os microrganismos do rúmen são o “rebanho dentro do seu rebanho”. Configure seu rebanho de microrganismos para obter sucesso trabalhando com seu nutricionista para desenvolver um plano de nutrição consistente.

Se você quiser saber mais informações sobre nutrição de gados leiteiros e de corte para ajustar cada vez mais o “rebanho” de microrganismos no rúmen dos animais, o EducaPoint oferece uma série de cursos com esse tema. Confira!

Cada curso pode ser adquirido individualmente, o que dá acesso a esse material para sempre. Ou você fazer um plano de assinatura semestral ou anual da plataforma EducaPoint, que lhe dará acesso a TODOS OS CURSOS oferecidos (cerca de 165!) durante o período de assinatura. Clique aqui e escolha seu plano.

Baseado em dois artigos* de Ted Perry para a BEEF Magazine.


Fontes consultadas:
* Rumen 101: A quadrillion reasons those microbes matter (https://www.beefmagazine.com/nutrition/rumen-101-quadrillion-reasons-those-microbes-matter)
Making your cattle even more efficient upcyclers (https://www.beefmagazine.com/sustainability/making-your-cattle-even-more-efficient-upcyclers-0)

Fonte: MilkPoint

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando