Relatório da Anvisa confirma a segurança dos alimentos produzidos no Brasil

Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos, divulgado pela Anvisa nesta terça-feira (10), indica que "os alimentos consumidos no Brasil são seguros quanto aos potenciais riscos de intoxicação aguda e crônica advindos da exposição aos agrotóxicos"

Divulgado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nesta terça-feira (10), o novo relatório do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA) confirma a segurança dos alimentos consumidos pelos brasileiros. A Anvisa analisou 4.616 amostras de 14 alimentos de origem vegetal e pesquisou até 270 substâncias químicas nesses produtos. No total, 77% das amostras foram consideradas satisfatórias, sendo que em 49% delas não foram detectados resíduos de pesticidas. Em 28% das amostras, os resíduos estavam em concentrações inferiores ao Limite Máximo de Resíduos (LMR) estabelecido pela Anvisa.

Entre as amostras consideradas insatisfatórias (23%), a grande maioria (20,4%) apresentou resíduos de agroquímicos não registrados para a cultura - um problema burocrático e não de saúde pública -, enquanto 2,27% das amostras foram identificadas com resíduos acima do LMR. O relatório da Anvisa destaca, no entanto, que "se um resíduo excede o LMR ou não é autorizado para a cultura, existe uma irregularidade. Entretanto, não necessariamente o consumidor estará em risco."

Ainda de acordo com a Anvisa, não foram identificadas situações de potencial risco à saúde dos consumidores. Os resultados do monitoramento e avaliação do risco apresentados no relatório do PARA confirmam que os alimentos consumidos no Brasil são seguros quanto aos potenciais riscos de intoxicação aguda (decorrente de um único contato) ou crônica (devido à exposição prolongada) advindos da ingestão de resíduos de pesticidas nos alimentos.

"O relatório da Anvisa foi feito de forma muito competente e comprova que o alimento que o brasileiro consome é absolutamente seguros. As pessoas não precisam ter medo", afirma Christian Lohbauer, presidente-executivo da CropLife Brasil.
Fonte: Ketchum Comunicação

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando