Produção de morangos é alternativa para diversificação de renda para famílias de Nova Alvorada

Em Nova Alvorada, município que tem tradição no cultivo da soja e produção de leite, aves e suínos, os morangos estão surgindo como alternativa de renda e de diversificação nas propriedades rurais. Pelo menos é o que está acontecendo das propriedades das famílias Borelli e Lorini. A produção de morangos no sistema semi-hidropônico conta com a assistência técnica da Emater/RS-Ascar do município e com apoio da Prefeitura.

De acordo com o extensionista da Emater/RS-Ascar de Nova Alvorada, Romeu Cezar Deon, a produção dos morangos no sistema semi-hidropônico, feito em bancadas, apresenta vantagens como melhor sanidade dos frutos, ergonomia no trabalho e mais facilidade no manejo das plantas, na limpeza e na colheita.   “No sistema semi-hidropônico a muda é plantada em um substrato inerte. Todos os nutrientes são enviados pela água. O controle de pragas é feito com iscas. O trabalho envolve ainda, a colheita, poda e limpeza”, explica.

Deon destaca que o custo maior com a produção, é com as mudas, que são importadas. “A estrutura uma vez construída, dura por anos. As mudas produzem em média dez meses no ano, e o pico maior da produção é entre outubro e janeiro”.

As famílias

A família de Rogério Borelli buscava uma alternativa para diversificar a produção e ter mais uma fonte de renda na propriedade, localizada na Linha Borelli. Inicialmente, a produção de alface estava sendo estudada. Após algumas visitas em propriedades e conversas, optou-se pela produção de morangos, que iniciou em 2018, com três mil mudas. Neste ano, com o sucesso na produção e nas vendas, eles ampliaram a área e investiram mais duas mil mudas em uma nova estufa.  Rogério e Silvada planejam construir mais um espaço e plantar mais duas mil mudas.

Já a família Lorini, da Linha Morangueira, conhecida pelo plantio de pêssegos, ameixas e maçãs, também resolveu apostar e investir no cultivo de morangos. Neste ano Jonei Lorini, que acredita na importância da diversificação das atividades, plantou 3,6 mil mudas de morango, no fundo de sua residência, como a assistência técnica da Emater/RS-Ascar. “O acompanhamento deles foi fundamental para que eu colocasse essa estufa e ampliasse a nossa atividade”, destaca.

Política Pública

O município de Nova Alvorada conta com uma lei de incentivo agropecuário, que desde 2017 incluiu um auxílio para produção de hortifrúti. Além de custear as viagens técnicas realizadas pela família para conhecer a produção em outros municípios, a família Lorini, por exemplo, recebeu o incentivo de R$ 7/metro quadrado para a construção da estufa. “É este auxílio que nos faz investir mais, pois se tivéssemos que custear todas as despesas, se tornaria inviável”, conclui Lorini.  De acordo com o secretário de Agropecuária e Desenvolvimento Rural, Ademar Pierezan, o auxílio é uma forma de contribuir para que as famílias permaneçam no campo, investindo e ampliando as atividades.

Rastreabilidade

Os morangos produzidos pelas famílias Borelli e Lorini recebem um rótulo de rastreabilidade, que contem a validade, número do lote e dados do fornecedor. O extensionista da Emater/RS-Ascar informa que o número deste rótulo fica registrado no caderno de campo, pois se necessário, pode ser rastreado até a origem, com as informações sobre o processo de produção e plantio.

A comercialização de toda a produção é feita na Feira da Agricultura Familiar do município e no comércio local.

Fonte: Emater

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando