Mercado do trigo tem baixa liquidez e moinhos abastecidos

O Brasil ocupa hoje a 11ª posição entre os maiores produtores de trigo com uma produção de 5,3 mi/ton (safra 2018/2019). O primeiro lugar continua sendo da União Europeia, com uma produção de 137,2 mi/ton.  Na última safra, o aumento no consumo do trigo ficou perto dos 3% (2,8%), chegando a 755,9 mi/ton.

Entre os maiores exportadores a Rússia merece destaque, com embarques totais de 34 mi/ton (2019/2020). Por outro lado, o país que mais comprou trigo na atual temporada foi o Egito que adquiriu 12,5 mi/ton. Os dados são do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

A apresentação foi feita pela analista da Conab, Flávia Machado Starling Soares, durante a 61ª reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Culturas de Inverno que aconteceu na última quarta-feira (28) no Auditório do Parque Estadual de Exposições Assis Brasil, durante a 42ª Expointer em Esteio (RS).

No panorama nacional, o relatório apontou baixa liquidez no mercado e moinhos abastecidos. O último Informativo Conjuntural da Emater/RS-Ascar mostra que, no Estado gaúcho, 69% das lavouras encontram-se na fase de desenvolvimento vegetativo, 27% na fase de floração e 4% delas na fase de enchimento do grão. Nesta safra, a área estimada pela entidade é de 739,4 mil hectares. A área de cultivo de trigo no Rio Grande do Sul corresponde a 37% da área de plantio brasileira, ficando atrás somente do Paraná.

Informativo Conjuntural da Emater/RS - Ascar

Durante o encontro, houve a nomeação do consultor especial da Câmara, além da troca de relato dos participantes sobre a atual conjuntura do trigo nas regiões, reformulações nos editais de PEP e PEPRO para o trigo e outros assuntos.

Quem abordou a Política de Preços Mínimos (PGPM) foi Antônio Matheus dos Santos Neto, do setor de Operações Comerciais da Conab. Entende-se por prêmio equalizador, o valor máximo que o governo federal deverá pagar aos produtores rurais que realizarem a venda e o escoamento do seu produto, para assegurar-lhe o recebimento deste valor mínimo.

Há mais de dois anos, a Conab passou a disponibilizar um sistema eletrônico de envio de nota fiscal, o Identificador de Nota Fiscal Eletrônica (IDNF) Externo, e, agora, está buscando melhorar o seu sistema.

Fonte: BBM

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando