Soja: Com foco na safra dos EUA, mercado fecha 3ª em alta na CBOT

Destaque Rural

Nesta terça-feira (20), os preços futuros da soja encerraram o pregão com ligeiras altas, entre 1,50 e 1,75 pontos, na Bolsa de Chicago (CBOT). Já no milho, as principais posições da commodity recuaram mais de 5 pontos na sessão de hoje.

Segundo informações reportadas pela Reuters Internacional, as cotações da oleaginosa encontraram suporte nas informações sobre a safra dos EUA, da temporada 2019/20. Ainda ontem, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) reduziu de 54% para 53%, o índice de lavouras de soja em boas ou excelentes condições no país.

Além disso, os primeiros números do Crop Tour, realizado pela consultoria americana Pro Farmer, trouxe uma menor quantidade de vagens nas lavouras da oleaginosa. Em Dakota do Sul, a contagem de vagens em um espaço de 3 por 3 pés ficou em 832,35 vagens no estado. Assim como no cereal, a projeção está abaixo do observado em igual intervalo do ano anterior, de 1024,72 vagens.

Já em Ohio, a contagem de vagens ficou em 764,01 em um espaço de 3 por 3 pés. Em igual período de 2018, o número estava em 1248,20 vagens. Nos próximos dias, a expedição irá reportar dados dos outros estados produtores nos EUA.

Enquanto isso, os preços do milho recuaram influenciados pela queda registrada nos futuros do trigo e pelas chuvas benéficas no Meio-Oeste. Por sua vez, o trigo foi pressionado negativamente pelas amplas ofertas globais e pela venda técnica, ainda conforme reporte da Reuters.

Assim como na soja, o USDA também reduziu o índice de lavouras de milho em boas ou excelentes condições nos EUA, de 57% para 56%. Paralelamente, a produtividade média do cereal foi projetada em 163 sacas do grão por hectare na Dakota do Sul. O número ficou abaixo do registrado no mesmo período de 2018, de 188,4 sacas por hectare.

O rendimento ficou em 163,35 sacas por hectare em Ohio, contra as 190,05 sacas por hectare indicadas em 2018.

Publicado por Fernanda Custódio

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Trabalha há mais de 6 anos com produção de conteúdos jornalísticos para o agronegócio.

Enviando