Mercados esboçam recuperação e fecham 6ª em alta em Chicago

Destaque Rural

Nesta sexta-feira (16), os futuros do milho negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) subiram entre 8,75 e 10,25 pontos, uma valorização de mais de 2%. Já na soja, as altas superaram os 9 pontos, um ganho de mais de 1%.

"Os contratos futuros de milho, soja e trigo dos EUA subiram na sexta-feira em uma recuperação técnica, com os comerciantes se equilibrando depois que o mercado de grãos registrou quedas acentuadas durante a semana", informou a Reuters Internacional.

Ainda de acordo com a agência, as expressivas perdas semanais, o milho estava a caminho de sua maior queda semanal em termos percentuais desde junho de 2016, decorreram de um aumento surpreendente da perspectiva de colheita de milho reportado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) na última segunda-feira.

"Nós pegamos bastante com o relatório desta safra na segunda-feira e tivemos uma semana difícil e acho que estamos apenas nos recuperando um pouco”, disse Ben Buie, líder da equipe de grãos da Cooperativa MaxYield em West Bend, Iowa. "Há um pouco de cansaço no lado pessimista depois de correr duro por quatro dias".

"O mercado parece estar sobrevendido depois de fortes quedas", disse Allendale, corretora dos EUA, em nota.

Do lado da soja, as preocupações com a demanda permanecem no radar dos participantes do mercado. A guerra comercial entre Estados Unidos e China continua limitando a força nos futuros da soja.

"O presidente dos EUA, Donald Trump, disse na quinta-feira que os negociadores americanos e chineses mantêm conversas comerciais "produtivas" e esperam que eles se reúnam em setembro, apesar das tarifas dos EUA valerem mais de US$ 125 bilhões em importações em 1º de setembro. A nação asiática prometeu uma resposta a qualquer nova tarifa dos EUA", ainda segundo dados da Reuters.

Publicado por Fernanda Custódio

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Trabalha há mais de 6 anos com produção de conteúdos jornalísticos para o agronegócio.

Enviando