Artigos

A cria pode ser rentável?

Por Pedro Veiga*

Quando o assunto é cria muitos são os questionamentos levantados. Alguns acreditam que recria e engorda são melhores atividades que a cria. Já outros dizem que, dependendo da região, focar em um ciclo completo com cria, recria e engorda vale mais a pena. O fato é que no entorno dessa discussão existem alguma fatores que podem determinar e até mesmo tornar desse, um cenário promissor. (Exagro - Maio 2011)

Pensando em um cenário macro, observamos que a agropecuária brasileira passa por um momento muito singular, há know-how, rentabilidade e até, porque não, uma indústria do agro que movimenta e incrementa a renda do país e o faz "girar", mas há também um setor que começa a entender e pesquisar cada dia mais sobre formas de produzir mais em espaço menores. Para a pecuária não é diferente. Diante desse pensamento, otimização de crias que possam render mais e de matrizes que possam produzir mais crias é talvez um "gap" importante do mercado e, que oferece oportunidades.

A cria precisa oferecer qualidade, mais peso e mais saúde para ser mais rentável e ofertar ao próximo na cadeia de valor, um agregado que o possibilite ter uma recria e engorda que gere bons resultados finais. Com isso, investir no início do ciclo pode ser muito interessante.

Vacas mais férteis e bezerros mais pesados, dependem muito da estratégia adotada pelo produtor em sua fazenda. E ela começa na nutrição da matriz e se estende a cria, afinal a matriz melhor nutrida ofertará bezerros mais fortes e desmamados mais rápido o que auxilia na redução das despesas da granja. Bezerros melhores e com sistema imune mais fortalecido começam a pastar mais cedo e se bem nutridos e digerindo melhor as pastagens podem ter aumento de seu desempenho o que resultam em mais peso na hora da venda.

As três dicas para que a cria seja ainda mais rentável são:

Cuidar das instalações, bem como iluminação, hidratação são fatores cruciais para a sanidade do animal;

Suas matrizes são a geração da sua principal fonte de renda e por isso, para que elas sejam mais férteis e produzam mais crias precisam ter qualidade superior a qualquer outro animal;

Alimentação e complementação nutricional dos bezerros é primordial para que eles tenham um sistema imune fortalecido, comecem a pastar antes e tenham ganho de peso.

*Gerente Global de Tecnologia de  Bovino de Corte da Cargill Nutrição Animal.

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando