Preços registram nova queda na CBOT com vendas técnicas e clima nos EUA

Destaque Rural

Pelo segundo dia consecutivo, os preços futuros da soja e do milho negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) recuaram. As principais posições da oleaginosa registraram quedas de 14 pontos e no cereal, a desvalorização ficou próxima de 5 pontos.

"Vendas técnicas e índices de lavouras em condições melhores que o esperado, divulgados pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos nesta segunda-feira, aumentaram a pressão sobre as cotações", informou a Reuters Internacional.

As chuvas recentes observadas no centro-oeste e no delta do Mississippi diminuíram temporariamente as preocupações sobre o risco de danos às culturas do milho e da soja devido ao clima quente e seco.

Enquanto isso, os produtores norte-americanos permanecem preocupados com o potencial produtivo da safra 2019/20, especialmente em áreas cultivadas tardiamente. Com o atraso na semeadura, devido ao excesso de chuvas, as culturas estão com sistemas radiculares superficiais, tornando-as mais vulneráveis aos possíveis danos ocasionados por condições climáticas adversas.

"No fim de semana houve preocupação com o clima quente para as regiões de milho dos EUA, mas as previsões agora caíram", disse Matt Ammermann, gerente de risco de commodities da INTL FCStone.

Ainda ontem, o USDA surpreendeu o mercado e elevou de 57% para 58% o índice de lavouras de milho em boas ou excelentes condições no país. Na soja, o índice subiu de 53% para 54%.

"O comércio agora espera outra melhora na classificação da condição novamente na próxima semana com a melhora na previsão do tempo", disse Tomm Pfitzenmaier, analista da Summit Commodity Brokerage, sobre o milho, ainda de acordo com reporte da Reuters Internacional.

Publicado por Fernanda Custódio

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Trabalha há mais de 6 anos com produção de conteúdos jornalísticos para o agronegócio.

Enviando