Estações mais frias do ano favorecem o cultivo das hortaliças

Temperaturas amenas, umidade relativa do ar mais baixa, chuvas em menores quantidades e a luminosidade geram condições propícias

O clima do Brasil se divide entre equatorial, semiárido, tropical, temperado e subtropical, sendo poucas as regiões de frio intenso.  Nesta condição, o inverno é a estação mais adequada para produção das hortaliças. Além da temperatura, fatores como a luminosidade, a menor quantidade de chuvas e a diminuição de pragas, como vetores de viroses e de certas doenças bacterianas e fúngicas ocorrem em menores intensidades, favorecendo culturas das hortaliças de forma em geral.

Para que os agricultores tenham sucesso nas plantações durante os meses com temperaturas mais baixas, é essencial conhecer a adaptação climática das variedades a serem cultivadas. Algumas hortaliças são originárias de regiões tropicais, enquanto outras são de climas mais frios, o que faz com que tenham adaptações climáticas diferenciadas.

"Isso resulta na facilidade maior ou menor para produção das espécies, de acordo com a sua origem, em diferentes épocas do ano. Porém, graças aos trabalhos de melhoramento genético, existem algumas hortaliças que são produzidas satisfatoriamente durante o ano todo", ressalta o engenheiro agrônomo e CEO da Blueseeds, Angelo Oioli.

 

Cultivo protegido

Nas regiões do país onde o inverno é mais rigoroso, podendo ocorrer geadas, uma alternativa é o cultivo protegido que, como o próprio nome diz, protege as hortaliças das temperaturas muito baixas e do contato com  geadas. "Neste caso, é preciso ter uma atenção especial com temperatura interna das estufas, só o plástico para a proteção não quer dizer que estamos protegidos totalmente das geadas o ideal seria ter alguma forma de aquecimento interno evitando uma inversão térmica que venha a danificar a cultura. ressalta Oioli.

Esse sistema de plantio (protegido)  também funciona como uma barreira contra os insetos, o que facilita o controle de pragas e doenças e, consequentemente, resulta em uma diminuição no uso de recursos como água, fertilizantes e defensivos, tornando o cultivo protegido mais eficiente  econômico e mais seguro para alimentação.

 

Fonte: Finco Agrocomunicação

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando