Clima adverso mantém atraso no plantio da safra 2019/20 nos EUA

Destaque Rural

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) reportou no final desta segunda-feira (24) seu relatório semanal de acompanhamento de safras. O órgão indicou o plantio do milho, da safra 2019/20, em 96% da área, abaixo do esperado pelos participantes do mercado, de 98%.

Na semana anterior, o índice plantado com o cereal estava em 92%. Já no mesmo período de 2018, os produtores norte-americanos já haviam finalizado os trabalhos nos campos.

"O tempo continua prejudicando as lavouras dos EUA de acordo com a atualização do progresso do plantio reportado pelo USDA", disse Bryce Knorr, analista sênior do mercado de grãos da Farm Futures.

Ainda conforme reporte do Farm Futures, mais estados entraram na reta final de plantio e Indiana (91%), Michigan (91%) e Ohio (80%) ainda são os mais atrasados até agora. Entre os 18 principais estados produtores, 89% da safra está em crescimento, contra 100% observado no mesmo período do ano passado e a média dos últimos cinco anos, de 99%.

Diante do atraso da semeadura e das incertezas ainda ocasionadas pelo clima adverso, o USDA atualiza na próxima sexta-feira (28) a sua estimativa de área plantada nesta temporada. A aposta dos investidores é que o departamento revise para baixo a área plantada com o cereal.

O órgão informou ainda que 56% das lavouras de milho apresentam boas condições, 32% estão em condições medianas e 12% apresentam condições ruins ou muito ruins.

Soja

A semeadura da soja também continua lenta no Meio-Oeste americano e avançou de 77% para 85% até o último domingo. Apesar da evolução, o número ficou abaixo do esperado pelo mercado, de 92%. Em igual período de 2018, os agricultores já haviam fechado o cultivo da oleaginosa e a média dos últimos cinco anos é de 97%.

Os estados de Missouri (66%), Michigan (69%) e Ohio (65%) são os mais atrasados no plantio da soja até o momento. Já a emergência da soja chegou a 71%, acima dos 55% da semana anterior, mas abaixo do reportado no mesmo período de 2018, de 94% e da média de cinco anos, de 91%.

Em relação às condições das plantações, o USDA apontou que 54% das áreas estão em boas condições, 36% apresentam condições medianas e 10% estão em condições ruins ou muito ruins.

Publicado por Fernanda Custódio

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Trabalha há mais de 6 anos com produção de conteúdos jornalísticos para o agronegócio.

Enviando