Faturamento das exportações brasileiras tem alta de 35% em julho

O faturamento das exportações aumentou em relação a julho de 2020

A primeira quinzena de julho foi de preços firmes para o mercado do boi gordo. “O cenário foi de estabilidade, algumas praças recuando, entretanto outras praças subindo. Então foi mais no sentido de correção de preços através de uma oferta pouquinho maior de gado, principalmente gado a pasto, no centro-oeste, sudeste e norte do país. Devido também a piora na qualidade das pastagens fazendo com que houvesse um reajuste na taxa de locação, ou seja, um aumento na oferta de animais para as indústrias frigoríficas de gado a pasto”, explica o eng. agrônomo e analista de mercado da Scot Consultoria, Rodrigo Queiroz.

Houve também um “aumento na oferta de animais semiconfinados, fazendo com que houvesse do lado da oferta um aumento, enquanto a demanda segue estável, pressionando dessa maneira as cotações”, informa.

No Rio Grande do Sul algumas indústrias frigoríficas que estavam fora das compras, voltaram ao abate na sexta-feira (15). “Entretanto as escalas mais alongadas das indústrias fizeram com que elas ficassem em um cenário com pouco mais de alívio, e dessa maneira testassem preços mais baixos”, ressalta Queiroz. No Rio Grande do Sul o quilo da carcaça do animal diminuiu R$ 0,20, ou seja, estava R$ 11,60, preço bruto e a prazo, e hoje (21) R$ 11,40, preço bruto e a prazo.

“Há negócios acima do preço de referência, dependendo da qualidade do animal, do lote, raça e proximidade das indústrias. Mas basicamente o cenário vai seguir desta maneira”, salienta.

O faturamento das exportações aumentou em relação a julho de 2020. “O Brasil hoje comercializa uma tonelada de carne bovina a U$ 5,3 mil, e no ano passado era cerca de U$ 4 mil, então esse salto na comercialização dos preços e também um salto sútil no escoamento de carne bovina, de 2,9%, fizeram com que o faturamento até a segunda semana de julho fosse de 35% maior o faturamento de carne bovina, apesar de somente exportamos 2,8% mais em relação ao volume”, frisa o especialista.

“As exportações brasileiras surpreenderam, porque apesar desse dólar um pouco mais baixo, o nosso preço comercializado da tonelada FOB de carne bovina subiu, perante a julho de 2020, dessa maneira o Brasil está comercializando o preço da tonelada FOB em 31,2% a mais do que o ano passado. E o mercado vai seguindo dessa maneira, São Paulo os preços em R$ 315, preço bruto e a prazo, boi para o mercado interno, R$ 320 para exportação, preço bruto e a vista”, finaliza Queiroz.

 

 

Texto Larissa Schäfer

Larissa Schäfer
Publicado por Larissa Schäfer

Formada em Jornalismo pela Universidade de Passo Fundo (UPF).

Enviando