PGPAF identifica produtos com direito ao desconto nas parcelas do Pronaf em junho

Os produtores e extrativistas de açaí no estado do AC, da banana na PB, cará/inhame no ES, castanha-de-caju no PI e PE, maracujá na BA, SE, SC e GO, além da manga na BA, terão novamente direito ao bônus garantido pelo Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF), que fornece aos agricultores familiares um desconto no pagamento ou na amortização de parcelas do financiamento no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). O benefício foi mantido após análises da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que identificou a necessidade de retomar o incentivo para esses produtos, com base no preço de garantia sobre o valor médio praticado no mercado dos itens.

Além desses, a Companhia incluiu também, nesse mês de junho, a banana produzida no estado de Alagoas, vendida ao preço médio de mercado por R$ 17,31, ou seja, 2,53% abaixo do preço mínimo, estabelecido em R$ 17,76. Os maiores índices de desconto, no entanto, ficaram para o cará/inhame do Espírito Santo, comercializado ao preço médio local de R$ 1,05, o que proporcionou percentual de 37,50% sobre o preço mínimo, estipulado em R$ 1,68, e para o maracujá de Sergipe, que alcançou bônus de 28,57% após ser negociado a R$ 1,30, abaixo do preço mínimo definido em R$ 1,82.

Alguns itens que constavam no mês passado saíram da lista em junho, graças à melhora do comércio nos estados de origem e à consequente elevação dos preços pagos ao produtor. É o caso da juta/malva no Amazonas e da uva em Santa Catarina, que deixam o bônus neste mês. Com relação aos estados beneficiados, houve ainda algumas alterações, como a castanha-de-caju, que foi excluída na Paraíba, e o maracujá, que também não será mais necessário receber bonificação no Ceará, Pernambuco e Espírito Santo.

Os índices entram em vigor nesta quinta-feira (10), a partir da portaria publicada no Diário Oficial da União, e terão validade até o dia 9 de julho. Os percentuais são atualizados mensalmente pela Conab a partir de pesquisas sistemáticas dos preços de mercado em todas as unidades da federação - com base em metodologia própria -, que são registrados no banco de dados das séries históricas de preços. Os bônus são calculados no fechamento do mês e as informações seguem para a Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SAF/Mapa), responsável pela análise e encaminhamento para publicação.

Acesse aqui a lista completa dos produtos no Diário Oficial, com os percentuais de descontos.

Larissa Schäfer
Publicado por Larissa Schäfer

Formada em Jornalismo pela Universidade de Passo Fundo (UPF).

Enviando