Setor de moinhos crescerá mais de 6%, ao ano, até 2025

Estudo da TCP Partners indica também alta dos derivados

A TCP Partners, boutique de investimentos, gestão e fusões & aquisições, realizou um estudo que analisou o segmento de moinhos e constatou que, nos próximos anos, o preço do trigo e de seus derivados, aliados ao aumento do consumo, podem colaborar para o crescimento do segmento de moinho em 6,6%, ao ano, até 2025, cuja receita projetada será de R$ 123,9 bilhões.

À frente do estudo, Ricardo Jacomassi, sócio e economista-chefe da TCP Partners, explica que o setor passará por um período de consolidação. Os moinhos antigos e familiares, por exemplo, poderão ser adquirido por fundos de investimentos, inclusive, internacionais de olho no potencial do mercado.

“Hoje o Brasil possui 193 moinhos, entre eles temos 30% que possui faturamento acima de R$ 100 milhões. 21% com faturamento em até R$ 1 milhão, os outros 49% são moinhos menores, por isso esse impulsionamento do setor é uma alavanca que permitirá que os pequenos também possam crescer”, explica o economista.

O momento também será propício para novos negócios. Empresas estrangeiras que antes não atuavam no Brasil podem passar a enxergar o país com mais atenção para importarem trigo para alimentação humana e animal.

Jacomassi pontua que mesmo diante de um cenário positivo, o segmento sofrerá com margens apertadas devido aos reflexos do câmbio sobre o custo da matéria-prima. Segundo as projeções da TCP Partners, o preço do trigo deverá subir 2% ao ano, o que ocasionará impacto no bolso dos consumidores.

“De maneira geral, essa movimentação será percebida, pois os derivados de trigo aumentarão de preço. Do ponto de vista econômico, esse panorama impulsionará ainda mais um dos principais setores da economia no quesito crescimento do PIB”, finaliza Ricardo Jacomassi.

Larissa Schäfer
Publicado por Larissa Schäfer

Formada em Jornalismo pela Universidade de Passo Fundo (UPF).

Enviando