Encerramento safra 20/21: manejo de doenças em soja

A destaque Rural, com patrocínio da Ihara, percorreu o Rio Grande do Sul para produzir uma série de 10 episódios sobre a Safra de soja 20/21 no estado. Neste primeiro episódio, conversamos com alguns especialistas e produtores sobre a ferrugem asiática e doenças de final de ciclo.

Segundo a pesquisadora do Instituto Phytus em Santa Maria, Mônica Debortoli, a pressão de ferrugem foi maior do que na safra 19/20. “Nós tivemos uma condição de mais disponibilidade de chuva e temperaturas mais amenas que na Safra 19/20, o que elevou a pressão de ferrugem. Também tivemos pressão de manchas, como a mancha alva aparecendo em algumas cultivares específicas, antracnose muito forte. Oídio o que também é muito relacionada à questão da temperatura mais amena”, explica.

Para o desenvolvimento de mercado da Ihara, Leandro Marques, os produtores vêm aprendendo a trabalhar melhor com as doenças. “Produtores altamente tecnificados que, hoje, utilizam um bom manejo para doenças, usando ferramentas eficientes e aplicadas de maneira assertiva, um bom posicionamento. E isso faz parecer que as doenças não tiveram uma grande pressão, mas muito disso, é em função do bom manejo que foi feito”, informa o especialista.

 

Texto: Larissa Schäfer.

Larissa Schäfer
Publicado por Larissa Schäfer

Formada em Jornalismo pela Universidade de Passo Fundo (UPF).

Enviando