Agricultura

Produtores investem na produção de noz-pecã em Novo Tiradentes/RS

07/04/2021
Produtores investem na produção de noz-pecã em Novo Tiradentes/RS

Fonte: Emater / Foto: Divulgação

Produtores investem na produção de noz-pecã em Novo Tiradentes/RS

Buscando novas alternativas de renda, a família Bairros, moradora da Linha Rincão das Flores, interior de Novo Tiradentes, iniciou em 2009 um pomar de nogueira-pecã em uma área de dois hectares. Hoje, as cultivares já estão em plena produção e a família investiu recentemente em maquinário para descascar a produção, agregando valor à comercialização das nozes.

Segundo contou o agricultor Neri Bairros, a família resolveu implantar o pomar de nogueiras em 2009, sabendo que o retorno seria a longo prazo, mas mesmo aassi decidiu investir na atividade. Logo após o plantio das mudas, uma forte estiagem acometeu a região e a família precisou irrigar manualmente as mudas para garantir o desenvolvimento das plantas. Mesmo com todos os percalços, a família demonstra satisfação pela atividade. A aquisição recente de uma máquina para descascar nozes é um indicador de que a família quer investir na produção, beneficiando a produção em casa, para agregar valor ao produto comercializado.

De acordo com a equipe da Emater/RS-Ascar de Novo Tiradentes, a nogueira-pecã é cultivada comercialmente em oito propriedades do município, em uma área de dez hectares e uma produtividade que vem aumentando a cada ano.

"Nós realizamos o acompanhamento dos pomares desde a implantação. Para os produtores obterem sucesso na atividade é fundamental escolher um local adequado, com solo profundo e de fácil manejo. Além disso, é preciso fazer a correção da fertilidade, adquirir mudas de qualidade (produtoras e polinizadoras), realizar os tratos culturais, como podas (formação, frutificação) e as adubações de manutenção da cultura, conforme análises de solo e folhas. Também recomendamos a instalação de um sistema de quebra ventos, através do plantio de espécies arbóreas ao redor do pomar, para minimizar possíveis derivas de herbicidas aplicados em áreas vizinhas", orientou o extensionista rural da Emater/RS-Ascar, Luciano Schievenin.

Fonte: Emater/RS

Matheus Basso
Publicado por Matheus Basso

Estagiário de Jornalismo

Enviando