Chuvas podem atrapalhar a colheita da soja no RS, avalia Santos

Previsão de tempo aberto sobre grande parte do Brasil nesta quinta-feira (25). “O tempo deve continuar aberto em grande parte do país, apenas com chuvas sobre as regiões produtoras de Rondônia, norte do Mato Grosso, Pará, norte do Tocantins, Maranhão, boa parte do Piauí até mesmo algumas áreas do interior do nordeste”, explica o agrometereologista da Rural Clima, Marco Antônio dos Santos.

Já no Sul, áreas de instabilidades mantém o tempo fechado sobre Santa Catarina, norte do Rio Grande do Sul e faixa leste no Paraná. “Mais para o final da semana entre o dia 26 e 27, uma nova frente fria estará avançando sobre o sul do Brasil, mais precisamente sobre o sobre a Argentina, Uruguai e Rio Grande do Sul”, salienta o especialista.

Segundo Santos, são esperados bons volumes de chuvas entre o sábado (27) e domingo (28) ao RS. “Essas chuvas poderão inviabilizar os trabalhos de colheita da soja, que já ganham ritmo no Estado”, alerta o agrometereologista.

Santos alerta que uma massa de ar frio deve seguir pela região Sul e chegar até São Paulo a partir da próxima semana. “Mantendo uma condição para chuvas a qualquer hora do dia, mais precisamente na parte da tarde, em grande parte das regiões produtoras de São Paulo, Minas Gerais e sul do Mato Grosso do Sul. Já no outro extremo (região norte), os últimos dias de março serão marcados por pancadas irregulares de chuvas, quase que diárias”, ressalta o especialista.

Essas chuvas mantém uma condição favorável tanto para realização da colheita da soja, quanto para os tratos culturais; bem como mantém os níveis de umidade no solo razoavelmente bons para o desenvolvimento das lavouras de segunda safra.

Já para as culturas de café e cana-de-açúcar essas chuvas, na próxima semana, “podem inviabilizar partes da colheita, nada que traga complicações ou preocupações aos produtores, uma vez que essas chuvas deverão vir mais na forma de pancadas irregulares sobre o centro-sul, mantendo assim uma condição favorável ao início da colheita da cana-de-açúcar em toda a região”, conclui Santos.

Larissa Schäfer
Publicado por Larissa Schäfer

Formada em Jornalismo pela Universidade de Passo Fundo (UPF).

Enviando