Papel dos lácteos no sistema de alimentação global é destacado pela USDEC

Os lácteos desempenham um papel fundamental na alimentação do mundo. Poucos alimentos fornecem uma lista de nutrientes e benefícios à saúde de formas tão acessíveis, funcionais e diversificadas. Além disso, a cadeia de suprimentos de laticínios dos EUA - da fazenda ao consumidor - continua fortalecendo sua abordagem de liderança mundial para a sustentabilidade que prioriza inovação, tecnologia e eficiência e manterá os laticínios dos EUA no centro do futuro do sistema alimentar global. 

Sustentabilidade: cada vez mais uma condição necessária para a cadeia láctea

De 2007 a 2017, o impacto ambiental da produção de um galão de leite nos Estados Unidos diminuiu significativamente, exigindo 30% menos água e 21% menos terra. Essas reduções resultaram em uma pegada de carbono 19% menor. Mas a indústria não está apoiada nessas conquistas. Em vez disso, avançou este ano com as Metas de Gestão Ambiental de 2050 e a Net Zero Initiative.

“É importante que o resto do mundo entenda que a indústria de laticínios dos EUA se preocupa com a alimentação das pessoas, comunidades rurais e com o planeta”, disse Krysta Harden, chefe de operações do U.S. Dairy Export Council (USDEC). “A aprovação coletiva de novas e agressivas metas de sustentabilidade é apenas uma das maneiras pelas quais a indústria americana pode provar que somos um líder global nesta área.” Os produtores de leite e fornecedores de lácteos dos EUA sabem disso. Mas os oponentes dos laticínios e nossos concorrentes têm procurado pintar um quadro diferente.

Desafio da cúpula alimentar da ONU

O USDEC fez parceria no mês passado com o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) para sediar o simpósio virtual “A Importância da Produção Animal e da Proteína Animal: A Perspectiva do Hemisfério Ocidental”.

O simpósio - para promover e defender o papel essencial dos laticínios no sistema alimentar global, apoia a formulação de políticas baseadas na ciência e destacar os benefícios do comércio internacional no desenvolvimento econômico - é parte de um esforço mais amplo de preparação para a Cúpula dos Sistemas Alimentares da ONU em setembro 2021.

A cúpula está sendo realizada para ajudar a "aumentar a consciência global, aprofundar nossa compreensão dos problemas que devemos resolver e definir um curso para mudar radicalmente a forma como produzimos, processamos e consumimos alimentos", disse Agnes Kalibata, enviada especial da ONU para a cúpula.

A conferência visa estabelecer uma estrutura de política global para tornar os sistemas alimentares mais sustentáveis, equitativos e nutritivos. Ao fazer isso, ela moldará as políticas agrícolas em todo o mundo, impactando o ambiente regulatório e de negócios em que as exportações de lácteos dos EUA são produzidas, comercializadas e consumidas nos próximos anos.

Oportunidades e desafios

Qualquer esforço para "mudar radicalmente" os sistemas de alimentação traz consigo oportunidades e desafios para os laticínios dos EUA. A Cúpula dos Sistemas Alimentares da ONU servirá como uma oportunidade para reforçar o papel essencial dos laticínios como fonte de nutrição sustentável e acessível.

Mas carrega o potencial de que laticínios e outros alimentos de origem animal perderão para uma agenda exclusivamente vegetal impulsionada por certas instituições e ativistas que negligenciam o importante papel que desempenham na nutrição, as medidas que estão sendo tomadas para tornar a produção de gado mais sustentável e contribuições da produção pecuária para as economias rurais e o desenvolvimento.

O webinar da USDEC-IICA realizado no mês passado ofereceu uma perspectiva do hemisfério ocidental sobre a importância da produção e consumo de proteína animal com a ciência em seu centro. Muito frequentemente, os debates atuais sobre a política alimentar estão sendo conduzidos por defensores que se opõem à agricultura animal ou que desencorajam o uso de tecnologias seguras e inovadoras. Isso torna essencial que a indústria de lácteos seja proativa e engajada na proteção de importantes mercados de exportação de laticínios dos EUA que frequentemente implementam recomendações da ONU.

Frente unificada

Os produtores de gado em todo o hemisfério ocidental, unidos via IICA e estimulados por programas como o simpósio organizado pelo USDEC, ajudarão a construir uma frente unida para exigir que a cúpula recomende apenas políticas científicas sólidas, reconhecer o importante papel da pecuária no sistema alimentar e evitar interesses ideológicos ou regionais. O USDEC continua alavancando proativamente suas parcerias globais, como a do IICA, para posicionar os laticínios dos EUA como parte da solução para alimentar o mundo de forma responsável e sustentável.

Mais por vir para se preparar para a cúpula da ONU

Essas apresentações específicas aos laticínios serão incluídas em uma próxima publicação das atas do simpósio. A publicação é parte de um esforço mais amplo do USDEC para gerar uma forte base de evidências que documenta o papel dos laticínios nos sistemas de alimentação que informará os preparativos para a cúpula da ONU no próximo ano.

O USDEC também alavancará a publicação com organizações internacionais como Codex, Organização Mundial da Saúde, Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura e Organização Mundial da Saúde Animal, que estão desenvolvendo cada vez mais políticas e recomendações baseadas nestes sistemas.

O IICA e sua rede no hemisfério ocidental serão essenciais para ampliar as prioridades dos laticínios e outras prioridades da pecuária antes da cúpula com o USDEC em uma posição única para promover a sustentabilidade, nutrição e cuidado animal na indústria de lácteos dos EUA em todo o mundo.

Só então a indústria de lácteos dos EUA pode maximizar os benefícios potenciais para o consumo e comércio global de laticínios que a Cúpula dos Sistemas Alimentares da ONU oferece, ao mesmo tempo em que minimiza os riscos para a produção de laticínios e o consumo de proteína animal apresentados por alguns dos defensores mais ideologicamente motivados da cúpula

As informações são de Nick Gardner, vice-presidente de Assuntos Regulatórios Internacionais e Codex do U.S. Dairy Export Council, traduzidas pela Equipe MilkPoint.

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando