Parlamento Europeu proíbe uso de termos lácteos para alimentos à base de plantas

O Parlamento Europeu decidiu hoje que restaurantes e lojas da União Europeia (UE) poderão continuar comercializando produtos com termos como “hambúrgueres vegetarianos” ou “linguiças veganas”, segundo informações da agência Reuters.

As regras de rotulagem fazem parte de um pacote maior de políticas agrícolas da União Europeia. O Parlamento ainda precisa definir sua posição sobre o pacote completo em uma votação.

Os produtores que haviam pedido a mudança na rotulagem disseram que as medidas eram necessárias para proteger os consumidores.

O Parlamento pediu, porém, o banimento de termos como produtos "semelhantes ao leite" ou "com estilo de queijo" para alimentos à base de plantas que não contenham ingredientes lácteos. Há três anos, o Tribunal de Justiça Europeu proibiu a comercialização de produtos com a denominação “leite de soja” e “queijo vegan”.

Legisladores e ativistas, incluindo a sueca Greta Thunberg, pediram ao Parlamento que rejeitasse todo o pacote de políticas agrícolas. Segundo eles, as mudanças não são suficientes para conter as emissões do setor ou proteger a natureza.

No Brasil, semelhantemente a este apelo do setor lácteo europeu, em 2018, foi assinado um projeto de lei pela atual Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, na época presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). O projeto – que segue em tramitação na câmara e foi idealizado pela Abraleite – tem também como objetivo proibir a utilização da palavra leite e de palavras que determinam derivados do leite em produtos de origem vegetal. Saiba mais aqui.

As informações são do Valor Econômico e da Abraleite.

Fonte: MilkPoint

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando