Taxa cambial mantém valorização dos preços agrícolas em agosto

Custos de produção também registraram alta

A manutenção da elevada taxa cambial, atingindo patamares históricos, foi responsável por um acréscimo de 12,61% do Índice de Inflação dos Preços Recebidos pelos Produtores (IIPR) no mês de agosto. Uma maior demanda interna e externa por alimentos junto com uma menor oferta também influenciaram o indicador. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (22/9), pela Farsul.

No ano, o IIPR acumula alta de 48,79% e em 12 meses chega a 62,30%, bem distante do IPCA Alimentos com 4,91% e 8,83% respectivamente. A diferença é reflexo da baixa atividade econômica em consequência das medidas protetivas no combate ao Covid-19, afetando muitos produtos que compõem a cesta do IPCA Alimentos.

A trajetória de alta da taxa cambial também vem encarecendo os insumos importados e impactando no Índice de Inflação dos Custos de Produção (IICP), que registrou aumento de 1,61% em agosto. A variação no preço do petróleo também teve influência no resultado. Em 2020, o acumulado do IICP atingiu 5,79%, o resultado só não foi maior em decorrência da queda no preço do petróleo no primeiro trimestre do ano. Em 12 meses, o IICP chegou a 6,52% enquanto o IPCA ficou em 2,44%.

A Assessoria Econômica da Farsul chama a atenção dos produtores para uma tendência de valorização do preço do petróleo com o avançar do ano. A propabilidade é que a taxa cambial se mantenha em um patamar elevado, fazendo com que os custos de produção sigam em trajetória de aceleração.

Confira relatório na íntegra

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando