Primavera 2020 com La Niña

A primavera de 2020 começa no dia 22 de setembro, às 10h31, no horário de Brasília, e prossegue até às 7h02 (Brasília)  do dia 21 de dezembro. Para a maioria das Regiões do Brasil, a primavera é uma estação de transição da seca e do frio do inverno para o calor e o ar úmido do verão. A palavra primavera vem do latim primo vere, que pode ser entendido como o “primeiro verão”.  

É a primavera que traz a chuva de volta, que vai começar a molhar a terra para o plantio de novas safras, que limpa o ar dos dias mais poluídos do inverno. No início da estação, a chuva ocorre de forma irregular e intercalada com períodos secos, mas vai aumentando de frequência no decorrer da estação. 

Em quase todo o Brasil, primavera significa aumento da chuva e do calor, mas para a maioria das áreas do Nordeste, esta é a estação do calor intenso e da seca. A porção norte da Região Norte tem pouca chuva durante parte da primavera. 

Com o aumento da umidade e do calor pelo interior do país, as grandes nuvens que provocam temporais reaparecem por quase todo o país. Os fins de tarde com pancadas de chuva ficam cada vez mais frequentes. Frentes frias continuam avançando sobre o país e algumas têm força para chegar à Bahia.

As temperaturas no centro-sul do país aumentam naturalmente com o enfraquecimento das massas de ar frio que chegam ao Brasil e com o aumento do números de horas de sol. O aumento do calor é uma característica da estação.

Primavera com La Niña

Desde o começo de setembro de 2020, as águas do oceano Pacífico Equatorial Leste estão com temperatura abaixo da média. É este resfriamento que caracteriza o fenômeno oceânico-atmosférico La Niña que, como o El Niño (aquecimento acima do normal do Pacífico Equatorial Leste), modifica o padrão de chuva e de temperatura em diversas regiões do planeta. A expectativa é de este evento La Niña seja fraco e de curta duração.

Impactos globais da La Niña no Hemisfério Sul - Junho a setembro)

 

La Niña no Brasil

No Brasil, os efeitos climáticos mais característicos por causa da La Niña é são o aumento da chuva sobre o Nordeste e a diminuição da chuva sobre a Região Sul. A La Niña também facilita a formação dos canais de umidade do Norte para o Centro-Oeste e Sudeste do Brasil, o que resulta em formação de áreas de instabilidade mais frequentes sobre estas Regiões.

Impactos globais da La Niña no hemisfério Sul (dezembro a março)

 

Neste episódio do podcast O Clima entre Nós, a meteorologista Josélia Pegorim conversa com Filipe Pungirum, um dos especialistas em previsão climática da Climatempo, comentam a previsão climática para a primavera 2020 para cada Região do Brasil e também aspectos relacionados com a geração de energia hidroelétrica e o abastecimento de mananciais.

Fonte: ClimaTempo

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando