Produção de bezerros no mundo

Por Eduardo Seccarecio*

A produção mundial de bezerros deverá crescer em 2020. Segundo estimativas do USDA1, serão produzidas 293,26 milhões de cabeças. Crescimento de 3,40% de 2016 a julho de 2020.

O maior crescimento da produção de bezerros é no Brasil

O Brasil é o segundo colocado na produção mundial de bezerros, ficando atrás apenas da Índia, que possui o maior rebanho de bovinos do mundo. Mas dentre os principais produtores, o Brasil apresenta o maior crescimento na produção nos últimos quatro anos e sete meses (+6,74%).

Tabela 1. Produção mundial de bezerros no período de 2016 a 2020, em milhões de cabeças.

Países 2016 2017 2018 2019 jul/2020* Variação acumulada
Índia 67,50 68,20 68,60 69,00 69,40 2,81%
Brasil 48,25 48,73 49,50 50,49 51,50 6,74%
China 48,89 48,80 47,50 50,75 51,00 4,32%
EUA 35,06 35,75 36,31 36,06 35,80 2,11%
UE 30,10 29,55 28,85 28,90 28,50 -5,32%
Argentina 14,00 14,20 14,65 14,87 14,52 3,71%
Austrália 6,60 9,70 9,10 8,70 8,30 25,76%
Outros 33,21 33,63 33,83 34,19 34,24 3,10%
Mundo 283,61 288,56 288,34 292,96 293,26 3,40%

Fonte: USDA / Elaboração: Scot Consultoria
*Previsão ajustada em julho de 2020

 

Considerando os cinco maiores produtores, a UE é a única cuja produção caiu, em 5,32%, considerando o mesmo período.

A China é mais eficiente

Comparando a China com o Brasil, a eficiência chinesa está maior. Com menos da metade do rebanho brasileiro produzem apenas 3% menos bezerros. Isso se deve principalmente ao perfil dos produtores chineses. Em média, a densidade populacional na área rural chinesa é doze vezes maior que no Brasil. As propriedades menores e mais distribuídas têm como consequência uma produção mais intensiva, com maior atenção aos índices zootécnicos, justificando o excelente resultado.

Gráfico 1. Participação por país na produção mundial de bezerros

Concentração da produção

Os três maiores produtores correspondem a 58,62% da produção mundial. O Brasil, com o segundo maior rebanho, tem potencial para alavancar a produção utilizando tecnologia para melhorar os índices zootécnicos.

A produção de bezerros deverá crescer em 2021

Comparando o segundo trimestre de 2019 com o mesmo período de 2020, temos uma queda de 17,23% nos abates de fêmeas. Nos levantamentos feitos pela Scot Consultoria, é possível observar que a demanda por fêmeas que entrarão na próxima estação de monta está aquecida, devido principalmente à grande valorização do bezerro/bezerra.

Sendo assim, em 2021 poderemos ter mais um ano de crescimento na produção nacional de bezerros. O mercado deve continuar firme para os bovinos dessas categorias no ano que vem, retrato de um ciclo de preços pecuários em alta.

Bibliografia
USDA – Departamento de Agricultura dos Estados Unidos

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

WAQUIL, P, D. A agricultura na China: transformações setoriais e as relações comerciais com o Brasil. Revista Teoria e Evidência Econômica, Passo Fundo, n.50, p.6-25, 2018.

*Engenheiro agrônomo e analista de mercado da Scot Consultoria.

Fonte: Scot Consultoria

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando