Brasil liderou as compras de lácteos uruguaios em agosto

O Brasil voltou a ser o principal comprador de lácteos uruguaios em agosto, destronando a Argélia. O total de embarques registrou queda mensal e também em relação ao ano anterior.

Os pedidos de exportação de lácteos totalizaram 17.888 toneladas, 16% abaixo das 21.363 toneladas de julho e 14% a menos que o volume exportado em agosto do ano passado, segundo dados da alfândega.

A Argélia apresentou forte queda nas compras, que em agosto foram as menores desde setembro do ano passado, com apenas 2.252 toneladas. Os embarques para esse destino caíram 77% em relação às 9.658 toneladas exportadas em julho e 70% em relação a agosto de 2019. Com isso, passou de primeiro para terceiro em volume de compras. A maior parte do volume foi de leite em pó integral, com média de US $ 2.801.

Por outro lado, o Brasil apresentou o quarto mês consecutivo de alta, com pedidos de 6.611 toneladas. É o maior volume mensal exportado para aquele destino desde maio de 2019. O principal produto trazido pelo Brasil foi o leite em pó integral, com 4.909 toneladas, a uma média de US $ 3.096.

A China foi o segundo maior destino dos lácteos uruguaios em agosto, com 4.326 toneladas. É o maior volume registrado desde março de 2014. Do total, 3.875 toneladas foram de leite em pó integral, a um valor médio de US $ 3.059.

Nos primeiros oito meses do ano, o Uruguai exportou 132.939 toneladas no valor de US $ 393,2 milhões. Isso está 3,4% abaixo das 137.672 toneladas expedidas no acumulado de janeiro a agosto de 2019 e 3,2% a menos que os US $ 406,4 milhões registrados há um ano.

As informações são do Blasina y Asociados, traduzidas pela Equipe MilkPoint.

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando