Alface: após produção ter sido afetada pelo clima, preços podem voltar a subir em setembro

O mês de agosto foi marcado pela desvalorização das alfaces no estado de São Paulo. A intensificação do frio, apesar de reduzir a produção, inibiu o consumo – o que explica o comportamento do mercado no período. Em Mogi das Cruzes, o preço médio da crespa no último mês foi de R$ 0,69/unidade, similar ao observado em julho. 

Já em Ibiúna, houve desvalorização de 8,33%, para a média de R$ 0,44/unidade. Na última semana do mês (24 a 28), houve menor oferta nas roças paulistas, já que a ocorrência de geada e as baixas temperaturas favoreceram a incidência de doenças, como "murchadeira" – reduzindo a produção e a qualidade dos pés. Assim, a perspectiva para setembro é de valorização das alfaces, uma vez que, além do menor volume plantado e de parte da produção ter sido comprometida, as condições climáticas tendem a ser mais favoráveis ao consumo.

A retomada do funcionamento de serviços de alimentação também deve continuar beneficiando gradualmente o escoamento das folhosas. Em relação à área plantada, segundo viveiristas consultados pelo Hortifruti/Cepea, a comercialização de mudas em agosto foi ligeiramente inferior à registrada em julho. Nesse cenário, setembro deve ser o último mês do ano com produção de mudas ainda reduzida, já que, em outubro, se iniciam os preparativos para a safra de verão, quando há maior fluxo de vendas.

Fonte: Cepea 

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando