Boletim agropecuário analisa produção de grãos no Estado

O primeiro levantamento da safra de verão, divulgado pelo Departamento de Economia Rural (Deral), é um dos principais assuntos tratados no Boletim Semanal de Conjuntura, referente à semana de 23 a 28 de agosto. O boletim também traz análise sobre o desenvolvimento de algumas das culturas do Estado e informações sobre preços praticados na semana.

Com relação à safra, o documento destaca a previsão de os produtores paranaenses plantarem 6,06 milhões de hectares, crescimento de 1% em relação à safra de verão 19/20. Mas a produção de grãos, pela estimativa, deve ficar um pouco abaixo, caindo de 24,7 milhões de toneladas para 24,3 milhões de toneladas.

Algumas das culturas com perspectiva de crescimento na área plantada foram influenciadas, sobretudo, pelos bons preços. A soja, grão mais produzido no Estado, é uma delas. A previsão é de aumento de 1,2% na área plantada, o que representa pouco mais de 65 mil hectares, suficiente para garantir a maior extensão já semeada no Paraná. Igualmente influenciado pelo preço, o milho deve passar de 356 mil hectares para 359 mil hectares.

Entre os principais grãos produzidos no Paraná, o boletim semanal fala, ainda, do feijão, que já está com semeadura em 2% dos 149 mil hectares projetados. Estima-se que a produção chegue a 302 mil toneladas. Sobre o café, o registro é da fase final de colheita tanto no Paraná quanto no Brasil. A expectativa, no Estado, é que o clima tenha preservado a boa qualidade da bebida.

TRIGO E MANDIOCA - Ao tratar do trigo, o documento aponta que houve piora nas condições das lavouras em comparação com a semana passada. Para isso contribuíram a geada, a seca e o posterior excesso de chuvas. Ainda não há um levantamento preciso, mas já se prevê perda de aproximadamente 200 mil toneladas, o que corresponde a 5% do potencial.

As chuvas da semana passada e a geada também não favoreceram as atividades relacionadas à mandioca. Apesar disso, a expectativa é que a produção chegue a 3,4 milhões de toneladas do produto em raiz, o que representa aumento de 9,7% em relação à safra anterior. Mas os preços ao produtor ainda continuam baixos.

OUTROS PRODUTOS – O boletim semanal também discorre sobre o morango, terceira fruta em movimentação de capital no Estado, que gerou, no ano passado, R$ 205,7 milhões. Na olericultura, a análise é em relação à batata da primeira safra, à cebola e ao tomate também de primeira safra.

É reservado, ainda, espaço para comentários sobre os preços praticados na avicultura de postura e sobre a importância desse segmento no Paraná. Por fim, há um texto tratando da importância do leite para a saúde.

Fonte: Deral

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando