O tratamento industrial de sementes chega 40% das áreas plantadas no Brasil

William Mendes/Destaque Rural

A cada ano os produtores procuram a melhorar a rentabilidade e produtividade nas lavouras. Uma boa parte desse trabalho é perdida por falta de cuidados na hora da colheita e do transporte, mas o que muitos não sabem é que os desperdícios iniciam no plantio. Um dos métodos para evitar desperdícios ou doenças de sementes na hora da colheita, é o tratamento de sementes com fungicidas. O tratamento de sementes de soja com fungicidas teve início no país em 1981. Hoje aproximadamente 95% das áreas plantadas com soja têm sementes tratadas com fungicidas, o tratamento pode ser feito pelo produtor ou pelo tratamento industrial de sementes (TIS). A vantagem principal do tratamento industrial é que a qualidade e o resultado preciso, o tratamento é feito por métodos computadorizados que proporcionam tratamento suave às sementes e permite a aplicação de diversos produtos (fungicidas, inseticidas, micronutrientes, nematicidas) na semente de forma segura e prática. Este tipo de tratamento vem ganhando espaço no mercado de sementes de soja, no Brasil em torno de 40% da área de soja é tratada de forma industrial. O papel principal do tratamento industrial é proteger a semente no solo, assegurar a qualidade da semente melhorando a rentabilidade da lavoura e evitando desperdícios. Boa parte das empresas que comercializam sementes realiza o tratamento no pré-ensaque, antes do armazenamento ou no momento da entrega das sementes ao produtor.

Enviando