Emater/RS-Ascar desenvolve ações de suporte ao turismo no meio rural

Para este ano, a Emater/RS-Ascar planejou o assessoramento a 2.826 famílias que atuam no Turismo Rural, em 167 municípios gaúchos. Como a atividade pressupõe o deslocamento de pessoas, o setor é um dos principais afetados pela pandemia do novo coronavírus. Diante desse cenário, a Emater/RS-Ascar, parceira da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), vai dar um suporte aos extensionistas e seus assessorados.

Embora o Turismo Rural e segmentos adjacentes não sejam a principal fonte de renda entre a maior parte dos assessorados da Emater/RS-Ascar, os quais vivem primordialmente da produção agropecuária, a atividade sentirá os efeitos da crise. "O impacto é a baixa na renda das famílias e comunidades que também trabalham com turismo, assim como a perda das trocas socioculturais visitante-visitado, o que também impacta na qualidade de vida desses trabalhadores", afirma a extensionista rural da Emater/RS-Ascar, Fernanda Costa da Silva.

EFEITOS E ALTERNATIVAS
De acordo com Fernanda, como essa situação é inédita, ainda não se sabe quais serão os efeitos a longo prazo, até porque dependerá das medidas de gerenciamento e mitigação de impactos negativos adotadas pelos governos. No longo prazo, segmentos de Turismo Rural, Agroturismo, Turismo Rural na Agricultura Familiar e Etnoturismo (feito em aldeias e comunidades) terão de se reinventar para trazer de volta os turistas. "Nesse meio tempo, é fundamental que estes trabalhadores construam redes locais e regionais de cooperação (comércios on-line, redes de troca de alimentos e formem grupos gestores para o cenário da crise, entre outras medidas). Isso porque é principalmente nesse âmbito menor que as ações precisam acontecer e de onde devem surgir as demandas para chegar até a gestão pública, para que haja uma compreensão da gravidade da situação e a emergência em apresentar suporte e soluções adaptadas às necessidades locais e regionais", esclarece Fernanda.

Segundo ela, o Turismo Rural e segmentos adjacentes estão entre as atividades e segmentos mais frágeis do turismo, pois não possuem uma legislação, nem políticas públicas de amparo. "Desde 2015, a Emater demanda ao Governo Federal, através do Ministério do Turismo (MTur), a flexibilização do Cadastur (Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos, em vigor no país) para empreendimentos rurais (sem a necessidade de CNPJ). Recentemente, por conta da pandemia, o Ministério lançou linhas de crédito e financiamento para o setor turístico. Porém, só podem ser acessadas, nessas condições especiais, por empreendimentos com o referido Cadastro. Logo, alguns dos trabalhadores que mais precisam de apoio neste momento, através deste crédito, não serão contemplados, como agricultores e povos e comunidades tradicionais, que também trabalham com turismo", exemplifica.

Contudo, há a possibilidade de crédito para micro e pequenos estabelecimentos, disponibilizado por cooperativas de crédito. Também podem se beneficiar de algumas medidas do governo federal voltadas para os aposentados ou famílias de baixa renda.

SUPORTE
A Emater/RS-Ascar, como executora de políticas públicas, pode contribuir para que estas sejam criadas e/ou aperfeiçoadas. Desta forma, está agindo em duas frentes de trabalho, neste primeiro momento:

1) suporte aos extensionistas, ou seja, à equipe de trabalho, através do repasse de informação qualificada, com produção de boletins informativos, compilação de documentos oficiais do Governo Federal, encaminhamento de materiais gráficos para serem usados à distância em aplicativos e redes sociais, mediante compartilhamento de metodologias de trabalho para esta nova realidade, bem como realização de reuniões on-line sistemáticas;

2) suporte aos assessorados, ou seja, aos trabalhadores do Turismo Rural, mediante o repasse das informações oficiais, de modo que estas sejam de fácil compreensão; o incentivo ao estudo on-line (disponibilizando materiais de qualificação para acesso remoto, como vídeos de suporte no canal do You Tube da Emater/RS-Ascar e cursos on-line gratuitos); e através da criação de duas campanhas on-line, uma voltada ao trabalhador ("Mas tchê, não te preocupa: o turista já volta e nós estamos contigo!") e outra ao turista (Mas tchê, não te preocupa: o Rio Grande guarda o teu lugar!"), ambas em formato de GIFs (imagens).

Em âmbito geral, a Emater/RS-Ascar já sugeriu à pasta de Desenvolvimento Econômico e Turismo a instalação de uma câmara temática de gestão da crise, relacionada ao turismo, com a participação dos conselheiros do Conselho Estadual de Turismo (Conetur). "Para esta demanda, estamos no aguardo", comenta.

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando