PIB agropecuário deve crescer 0,5% em 2019

O Grupo de Conjuntura do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) estima que o PIB do setor agropecuário brasileiro vai crescer 0,5% em 2019 e 2% em 2020. No segundo trimestre de 2019, a avaliação é de que o PIB Agro tenha recuado 1,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (20) na seção Economia Agrícola da Carta de Conjuntura do Ipea, lançada em seminário na sede do instituto, em Brasília.

O crescimento do valor adicionado da lavoura, que em 2019 deve alcançar apenas 0,2%, mas em 2020 provavelmente chegará a 2,8%, é o componente que mais impacta na melhora da expectativa para o setor. Na comparação trimestral, os segmentos que mais contribuíram para o resultado negativo foram as produções de soja – em consequência do recorde na safra 2017/2018, que gerou uma base muito alta de comparação – e o café, pela bienalidade negativa já esperada no cultivo – fenômeno natural, em que a produtividade é alta em um ano e baixa no seguinte.

A pecuária mantém seu desempenho favorável nas projeções, com avanço previsto de 2,3% em 2019 e 2,2% em 2020, influenciado por uma alta de 2,0% na produção de bovinos. Em 2019, esse componente já vem apresentando um bom resultado e deve fechar o ano com números positivos para todos os seus produtos.

O componente “outros”, que inclui produtos da exploração florestal, silvicultura, pesca e aquicultura, por exemplo, é o único que deve recuar em 2020, saindo de 2,4% para -0,6%. A equipe de Conjuntura do instituto utiliza, dentre outros, o prognóstico de safra da Conab e do IBGE para 2019, o prognóstico preliminar da Conab para 2020, além das projeções do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Para este ano, o milho é a cultura que mais contribuirá positivamente com o resultado da lavoura, com 2,0 pontos percentuais, enquanto a soja (-1,4 p.p.) e o café (-0,8 p.p.) são os que mais impactam negativamente. No ano que vem, estimativas preliminares da Conab sugerem que as safras de soja, arroz e algodão devem crescer 6,0%, 6,1% e 6,0%, respectivamente. Outro produto que deverá ser destaque em 2020 é a cana-de-açúcar, apresentando um aumento de 4,1% em seu volume produzido.

Mercado internacional

Na análise do setor externo, as exportações dos principais produtos brasileiros caíram 5% nos primeiros sete meses do ano, enquanto as importações cresceram 3%. O que puxou as exportações para baixo foi a soja – reflexo da queda das vendas para o mercado chinês. Para as importações, quase todos os principais produtos tiveram aumentos expressivos, com destaque para o trigo.

Fonte: DATAGRO

Redação Destaque Rural
Publicado por Redação Destaque Rural

Portal Destaque Rural

Enviando