Soja: Com foco na guerra comercial entre EUA e China, mercado sobe 1% na CBOT

Destaque Rural

As cotações futuras da soja negociadas na Bolsa de Chicago (CBOT) subiram mais de 1% no pregão desta terça-feira (13). As principais posições da oleaginosa registraram valorizações entre 9,25 e 10,50 pontos.

Na contramão desse cenário, os preços do milho apresentaram mais um dia de queda, com desvalorizações entre 10,25 e 19,25 pontos. Ainda na sessão desta segunda-feira (12), os preços da commodity bateram limite de baixa, com perda de 25 pontos.

"Futuros de soja da Bolsa de Chicago subiram 1,7 por cento nesta terça-feira, recuperando da queda de segunda-feira, com sinais de aliviar as tensões na luta comercial EUA-China, bem como preocupações com condições de seca que impedem o desenvolvimento das plantações no Centro-Oeste", informou a Reuters Internacional.

Ainda hoje, o governo Trump anunciou que irá adiar até meados de dezembro a tarifa de 10% sobre alguns produtos chineses, incluindo telefones celulares e brinquedos. As tarifas haviam sido anunciadas no início do mês e entrariam em vigor a partir do dia 1º de setembro.

Já o milho ainda foi pressionado pelas novas projeções trazidas pelo relatório de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). O órgão surpreendeu o mercado e elevou para 353,09 milhões de toneladas a safra de milho dos EUA na temporada 2019/20.

"O mercado ficou chocado com as estimativas do USDA sobre a área e o rendimento", disse Tobin Gorey, diretor de estratégia agrícola do Commonwealth Bank of Australia, em entrevista à Reuters Internacional.

Publicado por Fernanda Custódio

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Trabalha há mais de 6 anos com produção de conteúdos jornalísticos para o agronegócio.

Enviando