Vídeos

Milho: USDA eleva safra dos EUA e mercado recua quase 6% na CBOT

12/08/2019

Fonte: Pixabay

Milho: USDA eleva safra dos EUA e mercado recua quase 6% na CBOT

Destaque Rural

O pregão desta segunda-feira (12) foi de forte queda aos preços do milho negociados na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais posições da commodity caíram quase 6%, a caminho do maior recuo em mais de três anos, depois que o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) previu uma safra norte-americana maior que o esperado.

O órgão estimou a safra norte-americana, do ciclo 2019/20, em 353,09 milhões de toneladas. O número ficou acima do indicado no boletim passado, de 352,44 milhões de toneladas e também das expectativas dos investidores, de 334,37 milhões de toneladas. Os estoques finais do cereal no país passaram de 51,07 milhões para 55,40 milhões de toneladas.

Já a produção global de milho subiu de 1.105,14 bilhão de toneladas para 1.108,24 bilhão de toneladas. Os estoques finais mundiais passaram de 298,92 milhões para 307,72 milhões de toneladas.

A produção brasileira foi mantida em 101 milhões de toneladas e os estoques finais permaneceram em 6,31 milhões de toneladas do grão.

Na Argentina, a produção também foi mantida em 50 milhões de toneladas. Os estoques do cereal passaram de 6,09 milhões para 5,59 milhões de toneladas.

"Os traders não conseguiram ver os hectares de milho cortados tanto quanto eles queriam então eles estão enviando os mercados futuros em queda acentuada", disse Terry Reilly, analista sênior de commodities da Futures International em entrevista a Reuters Internacional. "A safra não é tão ruim quanto as pessoas previam lá fora", completou.

"Esses números não poderiam ter sido piores para o milho, e o milho é a locomotiva que puxa o trem de grãos", disse Charlie Sernatinger, analista da ED & F Man Capital.

As chuvas interromperam o plantio da safra 2019/20 nos Estados Unidos. E o clima mais seco registrado nas últimas semanas também trouxe preocupações quanto ao desenvolvimento das culturas.

Ainda de acordo com a Reuters, alguns analistas disseram que o número do milho reportado pelo USDA ainda é suspeito, particularmente a produtividade, estimada em 177,31 sacas do grão por hectare.

"O rendimento do milho ainda é uma surpresa, vamos ver se o mercado ainda acredita no fechamento", disse Mike Zuzolo, presidente da Global Commodity Analytics.

Publicado por Fernanda Custódio

Formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Trabalha há mais de 6 anos com produção de conteúdos jornalísticos para o agronegócio.

Enviando